Poema
 

Fumar é 'mar'

Fumar é mar,
distrói purmão,
istorva u zotro;
num é trem bão,

Faiz fumaça que intochica
qui dá tosse das qui fica.
U bem qui faiz é tão miúdo
qui mil veiz mais prejudica.

Fumar é ruim
dá roquidão,
istraga a pele,
hipertensão.

Faiz perdê dimais tempo,
disperdiçano momento
de bem estar e saúde,
gerando infraquecimento.

Fumar num presta,
dá sinusite,
istraga festa,
istomatite.

Faiz cê num í mais no isporte,
às veiz tira até seu norte,
reduiz as oportunidades,
diminói mui sua sorte.

Fumar é feio,
é negação,
dá impotência,
dói coração.

Faiz fartá muito, muito ar,
dificurta respirar,
e judia tanto do trôpego
que até infarta o tar.

Fumar dá câncer,
tuberculose,
enfisema, angina
arteriosclerose.

Num faiz sacanagem consigo!
Pruquê num afasta u perigo?
Pruquê não usa a coragem
d'incarar esse inimigo?

Fumar faiz tanto zotro mar
qui num dá aqui pra ti falar.
Mais dá sim pra ti dizer qui
ocê pode ele derrotar.

Fumar é mar!
Mais o cê é bão.
Então, vá e vença,
com Deus, irmão.

Interpretação de J.R.Jerônimo
para versão de um homem ainda analfabeto,
mas já sabido, acerca do cigarro.

Voltar